terça-feira, 29 de junho de 2010

Máscara


Fiz de mim uma máscara,
Não por medo, sim precaução.
A naturalidade era superior,
Mas do que o momento exigia.
Não mudei, progredi.
Mantive sutil e devidamente determinada.
Não sei se foi algo sem querer,
Ou chegue a ser proposital;
Mas os olhares se encontravam com facilidade.
Teimava com o perigo, cheguei perto da gota de uma aventura.
Hora que acelerava e alguns segundos que paravam.
 Não se entendia.
Promiscuidade que surgia, se escondia, ressurgia...
Mas costumam dizer que tudo tem seu momento,
E aquele era só para mexer com nossas mentes.
Talvez mais com uma do que a outra, mas sim bagunçar idéias.
Até o último olhar da noite,
Um repentino primeiro encontro.
Sem mais.

7 comentários:

kitty disse...

adorei o texto, sério mesmo *-*

Loverocklive disse...

Todos nós temos algum tipo de mascara, o texto é seu mesmo?

Parabéns pelo blog

Roberto Borati disse...

interessante....e essa coisa de máscara é só para esconder cicatrizes que as vezes podem ser profundas.


gostei.

beijo.

Adm Lockerz Download disse...

Legal, não so muito fã desse tipo de blog mais o seu é muito bom :D

Samarav disse...

lindo o texto, todos nós por vezes precisamos de uma mascara, nem que seja para proteção :)

beijo

Brenda Gomes disse...

Sinto prazer em ler seus textos pela forma como vc os escreve, de alma mesmo. Gosto disso. Bjs

Tassyane disse...

"Um repentino primeiro encontro."

Lindo, May.
Sabes a correria que ando por conta dos estudos e sem tempo :/ mas, muito bom vir aqui e te ler.

Beijos, linda