quarta-feira, 14 de julho de 2010

Vício...



Cada um sabia o seu lugar,
De fato não era necessário comentar.
Só agir, alimentar-se de desejos.
Alguns minutos. Ou dias.
Talvez não fosse nada. Ou fosse tudo.
Ou fossem os dois, tão rápido, sem raciocínio algum.
Porém, sem planos. Apenas ocasiões.
O Tempo que passa,
As pessoas passam como o tempo.
Mas não significa mudança.
Continuava, prolongava sem perceber.
É extremamente divertido.
Como não pensar quando o silêncio se faz presente?
Não há vício!
Apenas preciso repor minha dose de você.

7 comentários:

Karla Hack disse...

Instantes de pura paixão!
Lindos versos!
;D

Believe and Follow disse...

awn, que amor *-* tô senguindo, segue tbm?

disse...

amor, vicio, paixao, costume...
mal acostumado??
ou bem, muito bem...

beijos

Garotos Aparte disse...

*.*, muito, muito bom.
Vou seguir, vou seguir. É!

Roberto Borati disse...

obrigado sempre pelas comentários.

hum, sobre seu post, gostei do poema, belo e bem real...

Samarav disse...

que lindo.
um amor misturado com vicio. muito bom

beijo

Brenda Gomes disse...

O amor tem dessas coisas, manias, vícios, por vezes até um certo comodismo. Fazer o que, é o amoor.
Bjs