quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Trajetos despercebidos

Sejamos um, ou dois. Que Sá três até.
Sejamos perto, colante, juntinho, não distante.
Só para vê como é.
Uma viagem constante, fingida ou a pé.
No vale de meus sorrisos,
Trajetos despercebidos.
A esperança juntou-se com a fé.
Corra, e o vento, me abrace.
Sinto-me perto do que não é.

7 comentários:

Anônimo disse...

Lindo, amei May .. está de parabéns!

Ŧαвiiαиα' disse...

Texto lindo
estou adorando acompanhar suas postagens.
Parabéns!
beijo

Roberto Borati disse...

sejamos poesia viva, may.

Agora tô pronta disse...

aah que lindo (:

Brenda Gomes disse...

Como você consegue escolher as palavras tão intensamente bem? Adoro!
Bjs

Nathalia Nicolosi disse...

Lindo! Você está escrevendo cada vez melhor, May
Adoro a maneira que você brinca com as palavras.

Beijo!

Pobre esponja disse...

Também sou poeta e, sentir-me perto do que não sou é o que mais me acontece.
Parabéns pelo texto.

abç
Pobre Esponja