segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Como se não houvesse mais nada,
como se fosse um ultimo suspiro e o mundo fosse dormir logo em seguida.
Que o pássaro cante, ou se esconda.
Que a porta abra com o vento, ou feche com a força dele.
Que o barulho aumente, ou seja abafado com a suavidade de uma boa música.
Os olhares não desgrudam de um só lugar, os ouvidos estão ligados a um só som.
São duas mas, são uma só.

Um comentário:

Francisco Jamess disse...

muito bonito.

foto perfeita.